Equilibrio Luz e sombra

As relações entre as áreas de luz e sombra constituem o principal elemento de uma fotografia. Elas desempenham um papel fundamental na representação visual da forma, ou seja, na essência da fotografia. Ao fotografar-se um motivo com luz frontal forte, a sua imagem resulta achatada, pois todas as sombras projectam-se para trás e não são registadas.

Movimentando-se lateralmente a fonte de luz, a superfície do motivo e os objectos situados em torno dele ganham sombras que lhe dão a sensação de profundidade e solidez. É por essa razão que a foto de uma paisagem, se tirada ao meio-dia – quando as sombras são mínimas -, costuma ser menos eficaz do que a mesma foto obtida ao amanhecer ou ao entardecer, ocasiões em que o sol mais baixo provoca sombras longas e proeminentes.

É claro que às vezes pretende-se conseguir justamente uma imagem plana, sem sombras – por exemplo, quando o motivo é uma superfície repleta de linhas e padrões complicados, que devem ser registados em detalhe. No entanto, quando se deseja transmitir a sensação de forma, o jogo de luz e sombra é imprescindível. O mesmo acontece quando o objetivo é registar a textura de uma superfície.

Sombras e equilíbrio

Ao compor uma foto em condições de iluminação que provocam contraste, é importante equilibrar cuidadosamente as áreas de luzes e sombra, que determinam grandemente o efeito final da imagem. Lembre-se de que a luz forte é registada como branco na imagem fotográfica, e assim atrai a atenção; as sombras, por outro lado, assumem um aspecto bem mais pesado do que quando vistas a olho nu.

Isso pode ser usado como um importante elemento de composição, principalmente quando há sombras mais profundas, sem qualquer detalhe: quanto mais escura a sombra, maior a influência que esse elemento exerce na formação da imagem final. Procure sempre prestar a atenção em tais características, para usá-las a seu favor.

Considere, por exemplo, uma praia cheia de gente ou uma praça repleta. Para capturar a atmosfera da cena, a imagem deve ter predominância de áreas claras e brilhantes – mesmo assim, a inclusão de uma região de sombras fortes numa das bordas do quadro introduz contraste e enfatiza a vitalidade do resto da imagem.

Reciprocamente, a atmosfera sombria de um interior escuro pode ser sublinhada com a inclusão de um raio de luz intensa na imagem. Havendo iguais proporções de áreas iluminadas e de sombra, a atmosfera da foto pode variar bastante, dependendo da maneira como for registada pelo fotógrafo.

A escolha de uma exposição que favoreça a densidade das sombras confere à foto uma atmosfera menos contrastada, mais contida. A escolha oposta, de enfatizar as regiões iluminadas, aumenta o contraste geral e dá mais movimentação à imagem conseguida. Dessa forma, com a manipulação dos recursos à sua disposição, o fotógrafo pode determinar o clima e o resultado final da foto.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *