Fotografia e técnicas de contraluz

Um dos grandes problemas de se fotografar contraluz é a produção de flare. Use seu parasol para minimizar esse problema.

Contraluz é a técnica de virar as pessoas de maneira que o sol as ilumine suas costas, e seus rostos fiquem completamente na sombra.  Isso cria um brilho muito bonito, ou “luz de recorte” ao redor das pessoas.

Com o contraluz, é possível criar a imagem de duas maneiras, e cada uma delas produz um resultado diferente.

 O primeiro método é simplesmente, com o fotómetro ler a leitura da luz no rosto e  deixar o fundo mais claro. O segundo método requer a exposição esteja para o fundo, e se use flash de preenchimento para iluminar os rostos.

 Os dois métodos produzem ótimos resultados, mas para fotos de grupo onde queremos as pessoas bem iluminadas e reconhecíveis, vamos ter melhor resultados com o emprego de flash em modo manual.

Um bom tipo de contraluz  é a iluminação direta do sol. O modelo está em contraluz quando o sol está atrás da pessoa, iluminando seu cabelo e a linha de seu pescoço e ombros.

Com contraluz, é essencial usar uma boa luz de preenchimento. Quando usar um rebatedor, posicione-o tão perto quando possível do modelo, sem estar no campo de visão da lente da câmera. O rebatedor normalmente é posicionado entre o modelo e a câmera (abaixo da lente) e inclinado para cima, na direção do rosto. Observe o efeito da luz refletida, variando sua inclinação.

Não confie em seu fotômetro da câmera em situações de contraluz. Ele irá ler o fundo brilhante e os destaques no cabelo em vez da exposição no rosto. Se expuser para a intensidade da contraluz, você irá mostrar a silhueta do modelo. Se não tiver outro fotômetro que o da câmera, aproxime-se bastante e faça uma leitura do rosto do modelo, tendo o cuidado de não bloquear a luz do rebatedor.

É importante checar o fundo enquanto compuser um retrato na luz do sol direta. Uma vez que há consideravelmente mais luz do que num retrato feito na sombra, a tendência é usar uma velocidade de obturador média como 1/250 segundo, com uma abertura menor que usual, como f/11.

As aberturas menores irão dar nitidez ao fundo e distrair de seu modelo. Preveja a profundidade de campo para analisar o fundo. Use uma velocidade mais rápida de obturador e uma abertura mais ampla da lente para minimizar os efeitos do fundo.

É sempre melhor, quando usar uma DSLR, disparar algumas vezes como teste e avaliar a exposição do fundo e a geral com várias configurações. Use as funções de histograma e destaques nas altas luzes que a maioria das DSLRs emprega nas rotinas de reprodução no LCD para checar destaques estourados e fundos nítidos demais.

Nas fotos de grupo pode haver um problema, pois o grupo costuma ficar no meio da cena e a câmera vai tentar ajustar a posição para esta parte. A maneira mais fácil de compensar isso, conforme já visto em sala de aula, é usar o modo manual para travar a exposição correta para o fundo e depois usar o flash de preenchimento para iluminar a parte da frente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *