Esquecidos

Uma homenagem a estes homens esquecidos neste país de marinheiros.

 

Filhos da Praia

Tocou-lhes por berço as dunas.
Por escola,
a sabedoria dos velhos,
a pujança dos novos.
A honra e a coragem
de quem os pariu.

Cresceram assim,
embalados pelo grasnar das gaivotas,
ao desafio com o colo da mãe,
com o sorriso do pai,
intercalados com lanços e arrastos
e o alar do saco e os encher dos cabazes.
De olhos postos nas marés,
a olhar os barcos e as redes.
Braços e remos a lutar com as vagas.
Corações a amar a faina.

Nasceram assim
e assim morrerão.
Porque outra coisa não sabem
senão desafiar o mar
e roubar-lhe
o que em terra lhe negam.

São filhos da praia.
Da sina que lhes tocou por herança.
Do orgulho, da fé, da esperança…

Francisco José Rito

in Palavras Litoraias

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *